terça-feira, 23 de agosto de 2016

Ripasso

Na última 5ª feira, dia 18 de agosto, realizamos no Rosmarino mais uma excelente degustação, desta vez de vinhos da região de Valpolicella, produzidos pelo método “Ripasso”, ou seja repassagem da pele das uvas (normalmente Corvina, Molinara e Rondinella) utilizadas na produção do Amarone de Valpolicella ou Recioto. Tivemos a presença de apenas 5 confrades. Foram degustados 5 vinhos, de safras relativamente recentes, considerando o tipo de vinho (2008, 2010, 2011 e 2012), O nosso confrade Paulo foi responsável pelo excelente menu da noite.

Couvert: Pão italiano, mini-ciabata, pão de queijo, patê de roquefort, manteiga e azeitona.

Entrada: Terrine com salada verde

Primeiro Prato: Fetuccine com funghi porcini

Segundo Prato: Ossobuco com polenta

Sobremesa: Entremet de chocolate, Torta de nozes carameladas, Merengue de chocolate belga e avelãs, Carolinas de creme, Ovos nevados, Profiteroles, Terrine de Frutas, Tiramisú, Creme brulée, Pastiera di grano, Bavarese de chocolate e Tarte Tatin

Como de costume o serviço foi excelente e a execução do cardapio excepcional.

A degustação contou com apenas cinco vinhos com níveis de alcool variando entre 13,5% e 14,0%.



A seguir uma breve descrição dos vinhos degustados:

Mara Ripasso 2010
Produtor: Cesari
País/Região: Italia/Valpolicella Ripasso
Graduação alcoolica: 13.5%
Uvas: Rondinela, Molinara e Corvina
Confrade: Alberto

Ripasso Bosan 2008
Produtor: Cesari
País/Região: Italia/Valpolicella Ripasso
Graduação alcoolica: 14%
Uvas: Rondinela, Molinara e Corvina
Confrade: Marcio

Costamaran Ripasso 2012
Produtor: I Castei
País/Região: Italia/Valpolicella Ripasso
Graduação alcoolica: 14%
Uvas: Rondinela, Molinara e Corvina
Confrade: Altman

Ripasso Masi Campofiorin 2011
Produtor: Masi Agricola
País/Região: Italia/Rosso del Veronese IGT
Graduação alcoolica: 13%
Uvas: Rondinela, Molinara e Corvina
Confrade: João Luiz

Capitel della Crosara Ripasso 2012
Produtor: Giacomo Montresor
País/Região: Italia/Valpolicella Ripasso
Graduação alcoolica: 14%
Uvas: Rondinela, Molinara e Corvina
Confrade: Paulo

Vinhos degustados


Considerando que o vinho é produzido com as mesmas uvas utilizadas na vinificação do Amarone ou Recioto, as peles são adicionadas a cuba do Valpolicella recém fermentado, durante um período de 10-15 dias, refermentando com as leveduras e açúcares residuais. Esta fermentação torna o vinho com mais cor, tanino, sabor e estrutura, apresentando ao final um vinho de elevada qualidade, bom corpo e moderado teor de álcool. Os vinhos apresentaram cor rubi com halos granada, um Aroma de frutas vermelhas já maduras e notas de baunilha, sendo na boca, harmonioso, seco e aveludado.

Nesta degustação, os resultados do nosso painel apresentaram, uma pequena amplitude de notas, sendo na média aparada de 0,9 pontos (de 88,8 a 89,7).

O vinho que ficou em último lugar foi o Ripasso Bosan 2008, produzido por Gerardo Cesari na região de Valpolicella, na zona de Corrubbio di Negarine (San Pietro in Cariano), com 14% de alcool, escolhido o melhor vinho por um confrade, o segundo melhor por outro e o pior por mais um.

O segundo melhor vinho do painel, foi o Costamaran Ripasso 2012, produzido pela vinícola i Castei, na região de Valpolicella (vigneto Costamaran, comune di Marano di Valpolicella), com 14% de alcool, escolhido o segundo melhor vinho por dois confrades e o pior por um outro confrade.

O Campeão da noite, foi o Mara Ripasso 2010, produzido por Gerardo Cesari na região de Valpolicella, com 13.5% de alcool. Este vinho foi esolhido o melhor vinho por quatro confrades e o pior vinho por outro.




Vejam os resultados completos abaixo.

 

Não se esquecam que no dia 15/Setembro degustaremos vinhos tintos da região do Douro até lá....

Não percam a próxima degustação.


terça-feira, 9 de agosto de 2016

Ripasso

Ripasso is a red wine from the Valpolicella zone located north of Verona in the Veneto region of Italy. Ripasso is generally less well known than Valpolicella and Amarone wines, also from this area, even though it shares some features of both wines.
The term “Ripasso” sounds like and in fact means “repassed.” That refers to its production process whereby regular, fermented Valpolicella  (which is a blend of three regional native red grape varieties - Corvina, Rondinella and occasionally Molinara) is added to a cask containing the skins and lees left over from fermented Amarone wines. The process of adding (or “repassing”)  the lighter Valpolicella wine over the remainders of the “bigger” Amarone wine imparts additional color, texture and flavor to the Valpolicella wine. Also, it induces a second fermentation of the wine that increases the wine’s alcoholic content.
The end result is a wine called Ripasso that retains the vibrancy of Valpolicella but is darker in color, bigger and more flavorful and complex than the original Valpolicella. It’s a wine with sufficient stuffing to go with hearty foods such as stews, braised red meats, game and aged cheeses. In 2009, Ripasso della Valpolicella received its own DOC designation.
Ripasso wines are sometimes casually referred to as “baby Amarones.”  The same combination of grape varieties from the Valpolicella zone used to produce Ripasso are also used to produce Amarone. The two wines also share some of the same aroma and flavor profiles.
The two wines are also made with similar but not identical processes, Amarone (known more formally as Amarone della Valpolicella) wines are made with partially dried grapes in a process known as appassimento and then aged in large wooden casks for at least 2 years prior to release. The use of partially dried grapes and the longer ageing process results in wines that are more alcoholic (usually 15 to 16 percent alcohol by volume), full bodied and flavorful than Ripasso-style wines. The rich aroma and flavor notes of Amarones are often compared to those of Port wines. Like Port, they are also long-lived wines and can take many years to reach optimal maturity.
Due to their more intensive production process and longer ageing requirements, Amarone wines are considerably more expensive than Ripasso wines.
Ripasso-style wines offer a convenient alternative to Amarone wines. Ripasso wines are also rich and full-bodied and share some of the same aroma and flavor profiles as Amarone wines, just less so. Ripasso wines are more approachable and less expensive than Amarones and, as such, can be enjoyed regularly while saving the Amarones for those special occasions.
Ripasso wines can be served with a number dishes such as risotto and hearty pasta dishes. But they are at their best when paired with robust dishes involving roasted veal or lamb or braised or barbequed red meats like steak, sausage and game. Ripasso also goes well with aged cheeses like Parmigiano-Reggiano.

Source: http://www.winewordswisdom.com/wine_reviews/ripasso-wines.html

domingo, 24 de julho de 2016

Tintos Brasileiros de Pequenos Produtores

Na última 5ª feira, dia 20 de julho, realizamos no Tordesilhas mais uma degustação, desta vez de vinhos tintos brasileiros de pequenos produtores, produzidos no Rio Grande do sul, Goias e Santa Catarina, com diversas uvas (Merlot, Barbera, Syrah, Tannat, Teroldego, Cabernet Sauvignon, Ancelota e Touriga Nacional), com a presença de 7 confrades. Foram degustados 7 vinhos, de safras recentes (2005, 2009, 2010, 2011, 2012 e 2013), O nosso confrade Alessandro foi responsável pelo excepcional menu da noite.

Entradas: 3 Pastéis e suas Pimentas

               Queijo de Coalho Fresco e Mel de Rapadura

               Casquinha de Siri

               Rabanetes Orgânicos e Emulsão de Castanha-do-Brasil

Primeiro Prato: Pirarucu Fresco, Tucupi e Mini legumes

Segundo Prato: Barreado

Sobremesa: Cocada de Tabuleiro com Sorvete de Tapioca e Calda da Tamarindo

O serviço foi excelente e a execução do cardapio excepcional.

A degustação contou com sete vinhos com níveis de alcool variando entre 12% e 14,5%.


A seguir uma breve descrição dos vinhos degustados:

Dedicato 2011
Produtor: Monte Paschoal
País/Região: Brasil/Campanha Gaucha, RS
Graduação alcoolica: 12%
Uvas: Merlot
Confrade: Altman

Barbera Garagem 2012
Produtor: Atelier Tormentas
País/Região: Brasil/Território Canguçu
Graduação alcoolica: 13.1%
Uvas: Barbera
Confrade: Alessandro

Intrépido 2013
Produtor: Vinhos Finos do Planalto
País/Região: Brasil/Serra dos Pirineus
Graduação alcoolica: 14.5%
Uvas: Syrah
Confrade: João Luiz

Oriundi 2011
Produtor: Valontano(Masi/Zanini)
País/Região: Brasil/Vale dos Vinhedos, RS
Graduação alcoolica: 13%
Uvas: Tannat, Teroldego
Confrade: Marcio

Quinta da Neve 2009
Produtor: Vinicola Geisse
País/Região: Brasil/São Joaquim, SC
Graduação alcoolica: 13.2%
Uvas: Cabernet Sauvignon
Confrade: Joubert

Milantino 2005
Produtor: Milantino
País/Região: Brasil/Vale dos Vinhedos, RS
Graduação alcoolica: 13.2%
Uvas: Ancelota, Merlot e Tannat
Confrade: Paulo

Elos 2010
Produtor: Lidio Carraro
País/Região: Brasil/Serra do Sudeste, RS
Graduação alcoolica: 13%
Uvas: Touriga Nacional e Tannat
Confrade: Calabró

Vinhos degustados

Os vinhos apresentaram cor rubi, ainda bastante denso e violáceo, em virtude da pouca idade. Os aromas eram bastante distintos em função da variedade de uvas, sendo que alguns apresentaram uma madeira mais pronunciada, outros tinham um aroma floral, as frutas vermelhas escuras e as especiarias tambem estavam presentes. Na boca alguns apresentaram taninos equilibrados, porem outros ainda muito verdes.

Nesta degustação, os resultados do nosso painel apresentaram, uma pequena amplitude de notas, sendo na média aparada de 1,9 pontos (de 85,8 a 87,7).

O vinho que ficou em último lugar foi o Milantino 2005, produzido pela vinicola Milantino, no Vale dos Vinhedos, Rio Grande do Sul, a partir das uvas Ancelota, Merlot e Tannat, com 13,2% de alcool, escolhido o pior vinho por tres confrades, o melhor por outro e o segundo melhor por mais um.

O segundo melhor vinho do painel, foi o Intrépido 2013, produzido pela vinícola Vinhos Finos do Planalto, na Serra dos Pirineus, no estado de Goiás, a partir da uva Syrah, com 14,5% de alcool, escolhido o melhor vinho por apenas um confrade.

O Campeão da noite, foi o Barbera Garagem 2012, produzido pelo Atelier Tormentas no Território Canguçu, no Rio Grande do Sul, a partir da uva Barbera, com 13.1% de alcool. Este vinho foi escolhido o melhor vinho por quatro confrades, o segundo melhor por outros dois e o pior por mais um.

Vejam os resultados completos abaixo. 
Não se esquecam que no dia 18/Agosto degustaremos vinhos Ripasso da região de Valpolicella, no Vêneto.. Até lá....

Não percam a próxima degustação.


quarta-feira, 22 de junho de 2016

Barolo

Na última 5ª feira, dia 16 de junho, realizamos no Rosmarino mais uma excelente degustação, desta vez de Barolos, produzidos no Piemonte com a uva Nebbiolo, com a presença de 10 confrades. Foram degustados 10 vinhos, de safras variadas, emboara alguns muito jovens, considerando o tipo de vinho (2000, 2005, 2006, 2007, 2008, 2010 e 2011), O nosso confrade Paulo foi responsável pelo excelente menu da noite.

Couvert: Pão italiano, mini-ciabata, pão de queijo, patê de roquefort, manteiga e azeitona.

Entrada: Saladinha com presunto cru e figos ao forno com açúcar mascavo

Primeiro Prato: Taglioline fresco feito na hora na manteiga e sálvia

Segundo Prato: Carré de cordeiro e couscous marroquino com ervilhas

Sobremesa: Entremet de chocolate, Torta de nozes carameladas, Merengue de chocolate belga e avelãs, Carolinas de creme, Ovos nevados, Profiteroles, Terrine de Frutas, Tiramisú, Creme brulée, Pastiera di grano, Bavarese de chocolate e Tarte Tatin

Como de costume o serviço foi excelente e a execução do cardapio foi primorosa.

A degustação contou com dez vinhos com níveis de alcool variando entre 13,5% e 14,5%.


A seguir uma breve descrição dos vinhos degustados:

Barolo Porta Rossa 2005
Produtor: Cantina Porta Rossa
País/Região: Italia/Diano D'Alba
Graduação alcoolica: 13.5%
Uvas: Nebbiolo
Confrade: Alessandro

Barolo Collina del Sole 2011
Produtor: BTG SPA
País/Região: Italia/Godega di Sant'Urbano
Graduação alcoolica: 14.5%
Uvas: Nebbiolo
Confrade: Altman

Barolo Paolo Scavino 2010
Produtor: Az Agr.Paolo Scavino
País/Região: Italia/Castiglione Falleto
Graduação alcoolica: 14%
Uvas: Nebbiolo
Confrade: Alberto

Barolo Gabutti Boasso 2006
Produtor: Az. Agricola Gabutti
País/Região: Italia/Serralunga
Graduação alcoolica: 14%
Uvas: Nebbiolo
Confrade: Joubert

Barolo Vietti 2000
Produtor: Vietti
País/Região: Italia/Castiglione Falleto
Graduação alcoolica: 13.5%
Uvas: Nebbiolo
Confrade: Otavio

Barolo Paolo Scavino 2005
Produtor: Az Agr.Paolo Scavino
País/Região: Italia/Castiglione Falleto
Graduação alcoolica: 14%
Uvas: Nebbiolo
Confrade: Marcio

Barolo Rinaldi 2000
Produtor: Giuseppe Rinaldi
País/Região: Italia/Brunate - Le Coste
Graduação alcoolica: 14%
Uvas: Nebbiolo
Confrade: Calabro

Barolo Fratelli Dogliani 2011
Produtor: Frado Spa
País/Região: Italia/La Morra
Graduação alcoolica: 14.5%
Uvas: Nebbiolo
Confrade: Paulo

Barolo Pajana 2007
Produtor: Domenico Clerico
País/Região: Italia/Monforte D'Alba
Graduação alcoolica: 14.5%
Uvas: Nebbiolo
Confrade: João Luiz

Barolo  San Giovanni 2008
Produtor: Gianfranco  Alessandria
País/Região: Italia/Monforte D'Alba
Graduação alcoolica: 14.5%
Uvas: Nebbiolo
Confrade: Kel




Vinhos degustados


Os vinhos apresentaram cor rubi, sendo que alguns já tinham um halo granada e outros, muiti jovens, um rubi ainda violáceo. Os aromas  com notas florais de violeta, frutas secas, alcaçuz, menta, cedro, especiarias, tabaco, tostado e nos mais evoluídos, um couro ao final. Os taninos se mostraram bastante equilibrados.

Nesta degustação, os resultados do nosso painel apresentaram, uma pequena amplitude de notas, sendo na média aparada de 2,1 pontos (de 88,3 a 90,4).

O vinho que ficou em último lugar foi o Barolo Paolo Scavino 2005, produzido pela Azienda Agricola Paolo Scavino na região de Castiglione Falleto, com 14% de alcool, foi escolhido o pior vinho por tres confrades.

O segundo melhor vinho do painel, foi o Barolo Fratelli Dogliani 2011, produzido por Frado Spa, na região de La Morra, com 14,5% de alcool, escolhido o melhor vinho por dois confrades e o pior por um outro confrade.

O Campeão da noite, foi o Barolo Vietti 2000, produzido  por Vietti srl, na região de Castiglione Falleto, com 13.5% de alcool. Este vinho foi esolhido o melhor vinho por cinco confrades e o pior por um outro



Vejam os resultados completos abaixo.
  
Não se esquecam que no dia 21/Julho degustaremos vinhos Brasileiros de pequenos produtores. Até lá....

Não percam a próxima degustação.


quinta-feira, 26 de maio de 2016

Tintos da DOC Langhe

Na última 5ª feira, dia 19 de maio, realizamos no Rosmarino mais uma ótima degustação, desta vez de vinhos tintos da DOC Langhe, na região do Piemonte, produzidos principalmente a partir da uva Nebbiolo, apesar de alguns dos vinhos degustados terem sido produzidos com as uvas Barbera, Merlot e Cabernet Sauvignon. Tivemos a a presença de 7 confrades e degustamos 7 vinhos, de safras diversas (2001, 2006, 2007, 2009, 2010 e 2013), O nosso confrade Paulo foi responsável pelo magnifico menu da noite.

Couvert: Pão italiano, mini-ciabata, pão de queijo, patê de roquefort, manteiga e azeitona.

Entrada: Sopa Creme de Palmito

Primeiro Prato: Risoto de Funghi Porcini

Segundo Prato: Vitela ao Forno com Galette de Batata e Ementhal e Ervilhas Frescas

Sobremesa: Entremet de chocolate, Torta de nozes carameladas, Merengue de chocolate belga e avelãs, Carolinas de creme, Ovos nevados, Profiteroles, Terrine de Frutas, Tiramisú, Creme brulée, Pastiera di grano, Bavarese de chocolate e Tarte Tatin

Como de costume o serviço foi excelente e a execução do cardapio excepcional.

A degustação contou com sete vinhos com níveis de alcool variando entre 13,5% e 14,5%.


A seguir uma breve descrição dos vinhos degustados:

Austri Langhe 2007
Produtor: San Fereolo
País/Região: Italia/Langhe, Dogliani
Graduação alcoolica: 14,5%
Uvas: Barbera
Confrade: Marcio

Parusso Langhe 2006
Produtor: Parusso Flli
País/Região: Italia/Langhe, Monforte D'Alba
Graduação alcoolica: 13.5%
Uvas: Nebbiolo
Confrade: Alessandro

Alladio Langhe 2009
Produtor: Bera Azienda Agricola
País/Região: Italia/Langhe, Neviglie
Graduação alcoolica: 14.5%
Uvas: Nebbiolo
Confrade: Joubert

Sito Moresco Langhe 2001
Produtor: Gaja
País/Região: Italia/Langhe, Barbaresco
Graduação alcoolica: 13.5%
Uvas: Nebbiolo 35%, Merlot 35% e Cabernet Sauvignon 30%
Confrade: Otavio

Nebbiolo D'Alba Valmaggiore 2010
Produtor: Bruno Giacosa
País/Região: Italia/Nebbiolo D'Alba, Neive
Graduação alcoolica: 13.5%
Uvas: Nebbiolo
Confrade: Calabro

Seghesio Langhe 2009
Produtor: Az. Vinicola Seghesio
País/Região: Italia/Langhe, Monforte D'Alba
Graduação alcoolica: 14.5%
Uvas: Nebbiolo
Confrade: João Luiz

Langhe Nebbiolo 2013
Produtor: Beni de Batasiolo
País/Região: Italia/Langhe, La Morra
Graduação alcoolica: 13.5%
Uvas: Nebbiolo
Confrade: Paulo

Vinhos degustados



Os vinhos apresentaram cor rubi, sendo que alguns já tinham um halo granada e apenas um com um tom ainda violáceo. Os aromas  de frutas vermelhas escuras, incluiam cereja preta, framboesa negra, chocolate, tabaco, chá, caramelo e couro. Os taninos se mostraram bastante equilibrados.

Nesta degustação, os resultados do nosso painel apresentaram, uma pequena amplitude de notas, sendo na média aparada de 2,1 pontos (de 87,8 a 89,9).

O vinho que ficou em último lugar foi o Parusso Langhe 2006, produzido por Fratelli Parusso, na região de Monforte D'Alba, na DOC Langhe, com 13.5% de alcool, escolhido o pior vinho por cinco confrades e o segundo melhor por outros dois.

O segundo melhor vinho do painel, foi o Austri Langhe 2007, produzido pela vinícola San Fereolo, na região de Dogliani, parte da DOC Langhe, com 14,5% de alcool, foi escolhido o melhor vinho por dois confrades, o segundo melhor por outros dois e o pior por um outro confrade.

O Campeão da noite, foi o Sito Moresco Langhe 2001, produzido por Angelo Gaja na Regiãop de Barbaresco, na DOC Langhe, com 13.5% de alcool. Este vinho foi esolhido o melhor vinho por tres confrades e o segundo melhor por outros tres.


Vejam os resultados completos abaixo.


Não se esquecam que no dia 16/Junho degustaremos Barolos.. Até lá....

Não percam a próxima degustação.